Quem um pouco me conhece, sabe o quanto a música é importante e parte até decisiva de minha vida…  Legião ainda mais… Sempre foi minha trilha sonora…

E de tempos em tempos… Volto a ouvi-los… E em cada momento diferente (anos diferentes até) que as notas e palavras do RR chegam aos meus ouvidos me trazem sentimentos distintos… Natural, somos pessoas diferentes a cada dia…

Hoje, com certeza, tenho um sentimento novo ao ouvir a voz e os sons que sempre foram tão comuns aos meus ouvidos (devo ter mais horas de legião aos meus ouvidos do que horas trabalhadas… e olha que eu trabalho!) uma reação diferente a tudo que sentia quando a melodia surgia no rádio… Um doce e amargo ao mesmo tempo… Uma conexão frágil e espero que real… Uma saudade de algo que não vivi… Não consigo explicar… E isso piora um pouco sempre que tento racionalizar…

Definitivamente, ser adulto e fazer escolhas têm sido uma experiência horripilante! E a cada dia piora um pouco mais…

Por tudo que não consigo explicar… Vou me permitir deixar soltos os sentidos… e só ouvir o Legião, a voz do Renato, todos os timbres, todas as notas e respiros que eu puder ouvir…. e sentir… quero sentir… “até penso duas vezes… se você quiser ficar…”

“Sou um animal sentimental me apego facilmente ao que desperta o meu desejo…

Sou meu próprio líder, ando em círculos, me equilibro entre dias e noites…

Minha vida toda espera algo de mim… Woman Listening To Music

A primeira vez, sempre a última chance…

Os assassinos estão livres…

Nós não estamos…

Esperamos que um dia nossas vidas possam se encontrar…”

Anúncios

Não consigo colocar meus pensamentos em voz alta….
Talvez por medo dos sentidos ou não ser entendida…
fica tudo por aqui dentro, misturado e em pouco espaço…
Espero não explodir e deixar que tudo se vá num só momento… o som no ouvido diz tudo… sinto tudo…

Em Voz Alta – Megh Stock

“E assim sem resolver me vejo sem saída

Dentro dessa vida que você me deu

Sem te apressar ensaio a despedida fora dessa história

Quem sou eu?
Quase que uma sombra quando o sol se esconde
Me vejo ali sumindo

Mesmo sem querer você me apaga No escuro vou te assistindo

Sei que uma hora você vai de vez
E eu vou dizer que ainda não é tempo

Sabendo que esse dia vai chegar
E eu não quero ouvir, por isso não lamento

E assim fingindo tanto que me perco nas horas
Jurando que o seu problema é meu

Tantas pistas simples do seu desconforto ao lembrar
Que ainda vou pagando o preço

Sei que uma hora você vai de vez
E eu vou dizer que ainda não é tempo

Sabendo que esse dia vai chegar
E eu não quero ouvir, por isso não lamento

Em voz alta”

por-do-sol-na-cidade

Depois de tudo. Parece o mesmo e sempre o mesmo, mesmo depois. 1== 1.095. Parece pior.

“Instruções seguras” é a frase escrita na parte externa do envelope que tenho em mãos. Abro cuidadosamente, mas cheia de curiosidade e esperança. Cada linha uma dúvida e também uma esperança.

Letras bem pequenas e negras: “Escolha exatamente o momento certo/quisto, certifique-se de repetir os últimos passos exatamente iguais em pensamento, concentre-se e foque toda energia de seu corpo naquele instante e boa sorte! Sua viagem foi concedida. Ah! Não se esqueça de que será sua única viagem em toda sua vida! Então pense bem antes de executar os passos indicadoshappy chocolate

Caramba! Inspiro fundo e lentamente. Será que consigo escolher? Mas como escolher se só consigo pensar em um único momento/dia/instante/palavra. Será que uso esse privilégio para esse momento? Será que é a decisão certa se tomar? Mas eu quero mudar o que fiz. Quero voltar. Quero recomeçar. Já pedi desculpas. Até acho que fui desculpada, mas sinto e ouço o barulho de algo se quebrar. Então como posso acertar o que já foi feito?

Mudo então o dia, a intensidade, o instante, o olhar, e volto para 1, 2 e 3 chocolates. Pronto decidi! E lá me vou.  Quem sabe amanhã não seja tarde? Quem sabe, hoje, já seja tarde demais.

“…vamos ouvir esse silêncio meu amor, amplificado no amplificador do estetoscópio do doutor, no lado esquerdo do peito, esse tambor….” 

Nem sei a quanto não pensava no silêncio, a quanto não pensava…

Respiro fundo, sigo em frente e tento ser entendida no olhar… Não quero falar…. Sentir… Eh o que quero…

 

Respire fundo…. respire… Não pense em nada… Sinta… Se permita sentir…. Sinta… Nada…. Nem vazio… Nem cheio… Nem bom… Nem ruim… Nem sim… Nem não… Só…. Sinta….  Mão esquerda… Vibração forte… Me parece a única verdade… Aos poucos acalmando… Até … Até… Até sumir…. Não sinto mais… nada…. Parou… Fim… Será que me tornei algum monstro? me faz sentir…. Eu quero sentir…. 

 

Hoje, pensamentos mais calmos, mais mornos… Pensamentos menos… Nem troca de olhares… Só um único sorriso… Agradeço por ele…

Ontem, ardentes, envolventes, carentes, físicos, fortes… Muito forte… Só no olhar… Só de olhar… O toque de estremecer… O calor impossível de conter… Queimar…

Contradições, confusões, pensamentos e pensamentos… Esgotada de pensar, e ao mesmo tempo animada por sonhar… Sonhos que me fazem sentir vida novamente… Sentir…

Traços, pontos, ângulos e retas, todos num plano perfeito… Cronogramas definidos… E o que fazer após a entrega final? Entrega… Ah eu me entrego… Entrega…caminhar-sozinha

Turvo vinho seco, doce a me embalar, ontem, hoje, e amanhã… Quais surpresas a me reservar? Nunca antes vividas… Mentiras ou sonhos? Narrativas perfeitas do que poderia ter sido… Certezas perdidas, vontades esquecidas, dúvidas a muito cicatrizadas voltam a incomodar…

Existe uma única exceção? Você é minha única exceção? Eu sou uma única exceção? Somos todos únicos e exceções? Exceções…

Férias de mim, ser, pensar, estar, em mim… Outro habitar… Alguns instantes reais de insana inconsciência consciente… Consciente do caminho de volta, do retorno a mim mesmo… A única exceção de mim mesma…